Toki wo Kakeru Shoujo (Movie)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Toki wo Kakeru Shoujo (Movie)

Mensagem por daisuk3_san em Qui Out 02, 2008 12:49 pm

Toki wo Kakeru Shoujo (Movie)
Nota: 100%

Total de votos: 24
Nota do público: 98%
Alternativos: A Girl Who Runs Through Time, The Girl Who Leapt Through Time, TokiKake
Ano: 2006
Diretor: Mamoru Hosoda
Estúdio: Madhouse
País: Japão
Episódios: 1
Duração: 100 min
Gênero: Aventura / Drama / Sci-Fi








Num ano em que as expectativas dos fãs de animes estavam voltadas para "Gedo Senki" e "Paprika", foi um anime relativamente modesto que, comendo pelas beiradas, se tornou a grande sensação de público e crítica. É claro que "Gedo Senki", primeira obra do Studio Ghibli dirigida por Goro Miyazaki, filho de Hayao Miyazaki, foi um tremendo estouro de bilheteria, mas não chegou a ser uma unanimidade em termos de qualidade se comparado à maioria dos animes do Ghibli. E "Paprika", última obra do genial Satoshi Kon, não chegou a ser uma decepção para os fãs deste consagrado diretor, mas ficou aquela sensação de nao ser uma obra tão mágica ou convincente como "Sennen Joyu" ou "Perfect Blue".

Como quem não quer nada, "Toki wo Kakeru Shoujo" foi lançado nos cinemas japoneses mais ou menos na mesma época de "Gedo Senki", e ainda que não tenha causado grandes danos na arrecadação da obra do Ghibli, conseguiu levar um público surpreendentemente grande aos cinemas e, de quebra, foi massivamente elogiado pela audiência e pela crítica em geral, sempre comparado favoravelmente à superprodução do Studio Ghibli. O sucesso foi tão inesperado que, com o passar do tempo, "Tokikake" passou a ser exibido em mais salas do que na semana de estréia, pois o pequeno número de cópias iniciais não estavam suprindo a demanda do público, o qual sempre lotava as poucas salas que exibiam o anime.

Baseado no livro homônimo de Yasutaka Tsutsui, coincidentemente o autor de "Paprika", livro que deu origem ao supracitado anime de Satoshi Kon", "Toki wo Kakeru Shoujo" já havia sido levado às telas japonesas em 1983, num filme "live-action" dirigido por Nobuhiko Kobayashi. A história do anime difere levemente daquela presente no livro e no filme original, mas voltaremos a este assunto depois.

Makoto Konno é uma estudante comum, sempre com pressa e lutando contra o relógio para não perder a hora da escola. Makoto vive numa família comum e feliz, tem a vida em ordem e, de acordo com suas próprias palavras, é uma garota de sorte e com boa intuição, pois mesmo não sendo burra nem genial, sempre se dá bem em tudo que faz: tira boas notas, quase não se machuca e comete poucas bobagens. Ao lado dos amigos Chiaki Mamiya, um cara descolado que tira onda da cara de Makoto o tempo inteiro, e Kousuke Tsuda, um cara mais maduro e super estudioso, Makoto forma um trio muito unido que se encontra naquela difícil fase de decidir o que fazer da vida no futuro, de escolher a profissão na qual cada um trabalhará, provavelmente pelo resto de seus dias.

Certo dia, a sorte e intuição de Makoto parecem abandoná-la, pois tudo começa a dar muito, muito errado para ela. Para não entregar muito do que acontece, basta dizer que dois acidentes distintos mudam completamente a vida da garota, a qual descobre ter, por alguma razão, o poder de viajar no tempo. Assustada no início, Makoto começa a assimilar melhor a idéia e percebe o incrível poder que tem em mãos, o qual lhe permitiria não apenas mudar certos fatos do passado como, ainda, prolongar indefinidamente alguns momentos sublimes e divertidos.










Super segura de si, Makoto passa a usar e abusar deste poder mas, logicamente, as coisas não são tão simples pois, conforme a garota vai percebendo aos poucos, cada ação aparentemente inocente pode cobrar um preço grave em outra pessoa. Além disto, saber de antemão o que irá acontecer no futuro acaba com as surpresas da vida e a naturalidade dos relacionamentos, o que talvez possa ser um preço muito grande a ser pago. O que parecia uma simples brincadeira acabando ficando muito, muito sério.

Com um trama que apresenta um quê de "O Efeito Borboleta" misturado a "Feitiço do Tempo", "Toki wo Kakeru Shoujo" é uma obra fabulosa que consegue transmitir uma idéia aparentemente batida de "viagem no tempo" de uma forma mágica e marcante. A inesperada mistura de talentos envolvidos neste anime da sempre inigualável Madhouse pode ter contribuído para a obtenção deste sabor diferente e cativante. De cara, é importante destacar a surpresa pelo excelente roteiro de Satoko Okudera, roteirista praticamente estreante no mercado de animes e que, pasmem, foi a responsável pelo roteiro da versão "live-action" de "Makai Tenshou", ou "Ninja Resurrection" para os mais desavisados. Okudera mesclou humor e drama em doses perfeitas, tornando
um enredo que poderia ser chato ou totalmente fantasioso em algo palatável, emocionante e inesquecível.

Outra grande surpresa é o trabalho de mão firme do diretor Mamoru Hosoda. Egresso de animes "shounen" mais voltados ao público infanto-juvenil (Digimon: The Movie e One Piece Movie 6), Mamoru Hosoda demonstra um tremendo talento para comandar uma obra complicada, com um enredo complexo e com doses generosas de comédia e drama, conseguindo juntar tudo isto em um filme coeso, forte e que não parece forçado em nenhum momento. Mesmo no finalzinho, quando a trama ameaça descambar para a pieguice, o roteiro de Okudera e a direção firme de Hosoda mantém as coisas no eixos e evitam este deslize que poderia tirar sobremaneira a força desta belíssima obra.

Madhouse é sinônimo de qualidade, mas alguém em sã consciência conseguiria imaginar uma obra deste estúdio com um visual que lembrasse, simultaneamente, as obras do Studio Ghibli e da Gainax? Pois é exatamente o que acontece, hehehe. Toda a ambientação, os cenários de fundo, as cores, possuem um clima que nos remetem imediatamente a obras como "Whisper of the Heart" e "Spirited Away", e não é à toa, levando-se em conta que o responsável pelo trabalho de arte em "Tokikake" é Nizo Yamamoto, o qual também trabalhou nestas e em outras famosas obras do Ghibli. E o lado "Gainax" do anime, obviamente, é cortesia de Yoshiyuki Sadamoto, desenhista de personagens não apenas de Evangelion (além de ser o autor do mangá) como, ainda, de outros títulos de peso, tais como os jogos e animes do universo ".hack" e obras da Gainax como "Wings of Honneamise" e "FLCL". A junção de personagens que são a cara da Gainax em um ambiente visual puramente Ghibli criaram uma mistura diferente e, por que não dizer, muitíssimo agradável. Há uma grande preocupação nos detalhes de luz, sombras e reflexos, nas sutilezas das expressões dos personagens, mas nada é feito com ostentação, tudo funciona a favor da história e da ambientação. Certas cenas do "mundo parado", em especial, são pura poesia, chegando a arrepiar de tão belas.

Ainda no lado técnico, a trilha sonora de Kiyoshi Yoshida, aliada a alguns temas de Johann Sebastian Bach, faz o papel que se espera de um bom acampanhamento musical: possui temas belíssimos para piano, assim como alguns temas mais sinfônicos rumo ao final, que se encaixam perfeitamente ao que se passa na tela, tudo muito suave e nada ostensivo. Destaque ainda para "Kawaranai Mono" e para o tema de encerramento "Garnet", belas músicas cantadas por Oku Hanako cujas letras complementam com perfeição a idéia central do filme.

Hehehe, sentiram falta dos personagens, né? Basta dizer que se o trio central formado por Makoto, Chiaki e Kousuke não funcionasse tão bem, metade do encanto de "Tokikake" seria perdido. Há toda uma trama envolvendo viagens no tempo e tudo o mais, mas tudo isto seria secundário se o relacionamento entre os amigos não fosse tão marcante e, claro, se cada um deles não fosse interessante individualmente. Apesar de se tratar de uma obra com adolescentes enfrentando o difícil processo de amadurecimento e tudo o mais, os personagens passam longe dos estereótipos tão comuns em outras obras do gênero. Obviamente, Makoto é o centro das atenções, uma garota ao mesmo tempo atraente e estabanada, que joga beisebol com seus amigos de igual para igual e busca enfrentar a vida de forma alegre e altiva, mas sem exageros. E posso lhes garantir uma coisa: vocês nunca viram ninguém entrar em cena após uma viagem no tempo da forma como Makoto faz... e é quase impossível não chorar de rir a cada vez que isto acontece.




Premiações nem sempre dizem muita coisa, mas vale a pena citar alguns prêmios conquistados por este excelente anime, como o Festival Internacional de Cinema de Sitges (Catalunha), melhor animação de acordo com a Academia Japonesa de Cinema, no Mainichi Film Concours, além do Prêmio Especial no Hochi Film Awards. Nada mal para uma obra que, como foi dito acima, veio comendo pelas beiradas, devagarinho, e conquistou o público e a crítica aos poucos, de forma mais do que merecida. Só de escrever a resenha já fiquei com vontade de assisti-lo novamente... se me derem licença, por favor...


"O tempo não espera ninguém."


PS: A protagonista do livro e do filme original é Kazuko Yoshiyama, tia de Makoto e que aparece no anime em alguns momentos. Muitos estranham a reação natural da tia quando a sobrinha lhe conta sobre sua viagem no tempo, mas o fato é que Kazuko já havia passado anteriormente pelas mesmas coisas que sua sobrinha Makoto. De certo modo, o anime "Tokikake" é, ao mesmo tempo, uma adaptação e uma continuação do livro e do filme de 1983.

fonte animehaus


Trailer:


um filme muito profundo chorari

_________________

daisuk3_san
baaaaka ja nai?

Número de Mensagens : 1220
Karma : 1
£ Yens: : 15684
Masculino
Idade : 28
Localização : Alcobaça
Emprego/lazer : Informática
Humor : Penso que bem humorado?!
Data de inscrição : 25/08/2008

Personagem
Nome:
Humor:
100/100  (100/100)
Profissão:

Ver perfil do usuário http://www.monjolo.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum